ÁLBUM DE FOTOS FÁCIL

Que tal criar um álbum de fotos para colocar em seu blog de maneira profissional e gratuita.
Antes de mais nada é interessante termos conta nos sites que possibilitam o compartilhamento de fotos como FLICKR, PICASA, etc….., pois facilitam o processo.
Para criar o álbum acesse o link : http://www.photosnack.com/ com uma das contas das redes sociais e crie uma apresentação flash com as suas fotos. Existem inúmeras maneiras de apresentar seu álbum e segue abaixo uma das 24 possibilidades de apresentação…

COMO CRIAR UM BLOG

 

Criar um blog é relativamente fácil. Com poucos cliques feitos intuitivamente e respondendo a algumas questões, podemos criar um blog concreto que entrará no ar automaticamente. Existem inúmeras plataformas gratuitas que proporcionam a qualquer pessoa conectada a internet, criar seu Blog, porém duas se destacam:

BLOGGER http://www.blogger.com/home 

Para criar um blog usando essa plataforma da família GOOGLE faz-se necessário possuir uma conta no GMAIL. (vale a pena ter uma conta do Google por outras coisitas mais)

WORDPRESS http://pt-br.wordpress.com/

Pode-se utilizar qualquer conta de email. Muitos preferem essa plataforma e como toda concorrência não existe a melhor. Teste as duas.

Vamos usar o WORDPRESS e o processo é o seguinte:

Entre pelo link acima e abra a pagina inicial. A chamada para criar um blog é: EXPRIMA-SE CRIE UM BLOG e em seguida clicamos no botão ENTRE AGORA

Vai ser aberta outra página. Basta ir preenchendo o que é solicitado.

Um passo importante ao se criar uma página é o endereço, o famoso www…………….. Algumas características são importantes: ser fácil de decorar/falar; não existir o nome. Aparentemente parece fácil. Se o nome já estiver sendo utilizado será necessário inventar outro até encontrar o nome disponível.

Após o preenchimento será enviado um email para confirmamos a veracidade do email. (procedimento padrão das redes sociais). É necessário clicar no link no email recebido para a validação e ativação do serviço)

COMO POSTAR

Inicialmente iremos acrescentar um novo post(add new) post. Damos um título para o post e iniciamos a inserção de textos, imagens, áudio e vídeos. Existem ícones repesentando cada tipo de arquivo.  É o momento de fazer o upload do arquivo, ou seja, iremos transferir o arquivo do nosso computador para o servidor do blog. Será aberta uma nova janela e temos que procurar onde está o arquivo e enviar para o servidor.  O texto pode ser feito em qualquer processador de texto, basta usar o recurso copiar/colar

O post pode ser pré-visualizado ou mesmo ser salvo como rascunho antes da publicação. Aconteceu algum tipo de erro, esqueceu alguma coisa, não precisa arrancar os cabelos, existe a opção de editar e até mesmo eliminar um post.

Como disse inicialmente  o procedimento de criação de um blog é relativamente fácil. Agora vem a parte mais difícil: a publicação. Manter um blog atualizado, com novos posts não é tão simples porque envolve uma outra questão que precisamos exercitar: a escrita. Como uma publicação, escrever corretamente, de forma clara e com conteúdo exige uma dedicação, pesquisa, leituras. Possuo um artigo tratando dessa questão do erro que deixo aqui o link para quem quiser ler….http://professordigital.org/2011/05/09/professor-digital-002/

USO PEDAGÓGICO

É hora de começar tratar da questão do uso pedagógico do blog. Quando falamos de internet existem três eixos básicos que fazem parte de qualquer trabalho escolar: ler, escrever e pesquisar que estão o tempo todo presentes na internet.  Através de um blog os vários gêneros textuais podem ser explorados. O ato de escrever precisa ser um exercício diário e realizado por todas as disciplinas.

Todos nós educadores somos responsáveis pelo sucesso de nossos alunos. Nos anos finais/ensino médio quando existe um professor para cada disciplina, retiramos nossa responsabilidade  e deixamos para o professor de portugês como único  responsável em desenvolver a  ler e escrever.  O blog pode ser a plataforma unificadora dos projetos interdisciplinares a leitura, pesquisa e  escrita, essas questões básicas que perpassam por todos os conteúdo e muitas vezes são a razão do fracasso escolar.

O blog como proposta interdisciplinar pode ser criado de inúmeras formas:  individual, duplas, grupo, turma, série, escola…não existe  uma receita e todos os caminhos são válidos.

 Se nós professores conseguirmos romper o isolamento de nossas aulas/disciplinas, utilizando de forma produtiva nossas coordenações, encontros e cursos para uma prática de compartilhamento, debate e construção coletiva, poderemos encontrar solução para os diversos problemas que assolam nossas escolas: indisciplina, violência e desinteresse. A cultura digital é parte cotidiana dos nossos alunos. Nós professores é que precisamos nos apropriar dessas ferramentas e utilizá-las em nossas aulas.

Imagens e textos

A WEB 2.0 opera verdadeiras maravilhas. Mesmo sem dominarmos a linguagem de programação podemos CRIAR uma infinidade de coisas interessantes e utilizarmos em nosso trabalho pedagógico. Nessas buscas por novidades, muitas vezes tenho surpresas agradáveis. Seja pelo resultado imediato, seja pelas inúmeras possibilidades que se abrem.

A união entre palavras e textos acontece de forma automática com poucos cliques e o leque de possibilidades depende de sua criatividade.
Aprender a fazer é uma das coisas que mais eu gosto. Como professor de artes e trabalhando com a questão da criatividade, sempre dei valor aos exemplos, mostras e sugestões. Não se cria nada do nada. Para desenvolver qualquer trabalho necessitamos adquirir um repertório, um acervo, uma biblioteca e estarmos com nossas antenas ligadas para captar TUDO ao nosso redor.

caminho de pedras
* Feito no Apps para iphone JUXIO

No site você poderá criar uma série de quadros, bastando se cadastrar para poder montar seus trabalhos que são convertidos para pdf

tt001

Através de um subterfúgio consegui salvar esta imagem e mostrar para vocês. No site existem inúmeras amostras de trabalhos que sempre abrem as portas da nossa imaginação.

O endereço do site é: http://www.juxio.com

Professor Digital.002

Continuando nossa série de reflexões de como sermos um professor digital, trataremos de um aspecto que a meu ver é crucial: “o medo de errar”.
O brinquedo enquanto elemento lúdico de aprendizagem ajuda o desenvolvimento das crianças. As descobertas, tentativas e confirmações de teses que se formam, montam o repertório do conhecimento infantil. Nossos jovens encaram o computador, celulares, tablets e o que mais possua uma tela colorida e vistosa desta maneira, lúdica. Não perdem tempo lendo manuais. Simplesmente tentam sem medo algum. Em pouco tempo de exploração tornam-se experts e dominam com uma facilidade que nos fascina. Existe um fator determinante nestas aprendizagens: a memória. Eles prestam atenção em tudo, memorizam os passos lógicos. Conseguem memorizar a dinâmica dos passos para cada tarefa. Também a falta de conceitos (ou preconceitos), facilita nesta atividade exploratória. Não trazem a imensa carga negativa do NÃO FAÇA ISTO OU AQUILO. Como são deixados livremente sem interferência de adultos, aprendem naturalmente, (além de disporem de todo tempo do mundo) e compartilham entre si os conhecimentos adquiridos, num processo cooperativo, solidário que infelizmente nós adultos deixamos de vivenciar.
Este método da tentativa acerto/erro é utilizado largamente. Como não partem de nenhuma premissa, mas testando as possibilidades existentes, acabam aprendendo por conta própria . Como já foi dito, a ausência de adultos apontando erros é o fator mais significativo dentro deste processo. Como professores temos como dever de ofício, corrigir , apontar e destacar os erros. Ensinar o certo é nossa obrigação, porém a forma como atuamos acaba bloqueando e vamos inconscientemente cortando todo tipo de expressão. Quando nossos alunos chegam ao final de sua escolarização, se fosse realizada uma avaliação “real” dos resultados alcançados ao longo deste processo, teríamos uma triste constatação: não conseguimos formar leitores, escritores, pesquisadores, artistas e principalmente cidadãos críticos e atuantes. Bom voltando ao nosso foco da questão do erro. O feitiço acaba virando contra o feiticeiro. O nosso medo de errar acaba se transformando em nosso maior inimigo. Nossa autocrítica penaliza nossa atuação frente às telas digitais.
Agora relembre como foi seu passado estudantil, o momento político que viveu, sua formação universitária e como era a sociedade .
Nossa educação foi individualista, competitiva (continua) e fazíamos parte de equipes. Nosso mundo atual vive profundas contradições. Exige um desenvolvimento sustentável e continua sua ação predadora dos recursos naturais, num consumismo extremado. No campo das comunicações a popularização da internet causou mudanças dos paradigmas até então vigentes. A informação passou a ser veiculada sem restrições, barreiras ou restrita aos grupos que detinham o saber. Hoje temos acesso ON LINE de tudo que acontece. Essa nova forma de trabalhar não faz parte do nosso repertório. Precisamos urgentemente fazer esse UPGRADE. Nossos hardwares e softwares estão totalmente ultrapassados. E vivemos esse conflito em nossas escolas. Essa dificuldade não é privilégio do Brasil, mas acontece em todo planeta. Os outros por possuírem mais recursos estão um pouco mais avançados, mas em relação à metodologia a ser utilizada, ainda não houve tempo para serem criadas, testadas e cientificamente aprovadas, como bem gosta a academia. Estagnados, assistimos avanços e novidades. Ondas surgem a todo instante: ICQ, MSN, ORKUT! FACEBOOK! YOUTUBE….e haja novidade para acompanhar. Estamos tão ocupados com o passado (90%), que sequer dispomos de tempo para nossa atualização e utilizamos apenas de 10% para o nosso futuro. É como se estivéssemos dirigindo o carro da educação olhando pelo retrovisor. Estamos desperdiçando o imenso potencial de aprendizagens que as novas tecnologias de informação e comunicação possuem junto às crianças e adolescentes. Assistimos deturpações em relação às redes sociais, e o Orkut, Twitter são pouco utilizados para APRENDER. Dando apenas uma pitadinha sobre as redes sociais, vou citar o Twitter, que possibilita o acesso instantâneo à informação. Com tradutores, a barreira da língua pode ser superada on line, e é a melhor forma de sabermos das últimas novidades. Você já tem um Twitter? A aldeia global profetizada por McLuhan virou realidade. O que assistimos nos chamados filmes de ficção cientifica está sendo ultrapassado por uma realidade mais avançada e aprimorada. Vivemos num momento em que alguns estão chamando de Renascimento 2.0. O digital abalou todas as estruturas. A produção documental cresceu assustadoramente. A nova Babel está em construção contínua. O mundo enquanto lugar de seres inteligentes, interligados, livres das diferenças que sempre nos separaram está cada vez mais ON LINE. Ligados pelos muitos nós, estamos nos transformando em cidadãos planetários. As divisões políticas e culturais que ainda existem estão desaparecendo…Como disse no Professor Digital (PD).001, tudo são reflexões livres, neste diário digital compartilhado, aberto, incompleto e que tem apenas a pretensão de tentar desvendar este emaranhado de variáveis existentes. A cada semana, na medida do possível e até onde puder ir, vou postando. Obrigado a todas as pessoas que estão acompanhando esta série. Suas visitas me incentivam a continuar essa busca…até a próxima…

PROFESSOR DIGITAL.001

Vamos iniciar uma série de postagens a respeito de nossa inserção digital. É um desafio que está posto para nós educadores: como podemos nos transformar num professor digital? Para muitos freqüentadores do nosso blog pode ser uma leitura desnecessária. Se este for o seu caso, deixe seu comentário que será muito bem-vindo.
Tenho me dedicado a este tema nos últimos tempos e gostaria de compartilhar e receber sugestões, pontos de vistas diferentes, críticas a respeito deste tema. Preparados:
Primeiramente, existe um diferencial significativo em relação ao tempo que passamos na frente de uma tela digital, quando comparado com o tempo que os nativos digitais passam.
Nossos jovens estão conectados 24 horas por dia, 168 horas por semana e 5.040 horas por mês. Exagero à parte, corte esses números pela metade. Isso explica porque eles estão anos luz em relação a nós. Estabelecer uma rotina frente à tela digital e ter uma meta a ser atingida diariamente, pode ser um primeiro passo. Como sugestão, que tal 03h30min horas semanais (30 minutos diários), você pode determinar o tempo que tiver disponível. Evidentemente que este processo passa pela apropriação das ferramentas que vão do mouse, teclado, computador num primeiro momento, juntamente com a utilização dos programas e aplicativos.
Somos de uma geração televisiva. Entre uma tela de computador e uma de televisão, gastamos mais tempo na segunda. Essa mudança de hábito não foi incorporada em nossas vidas. Desde o aparecimento dos controles remotos, videocassetes, DVD’s, celulares e todo tipo de gadgets, que abrimos mão de aprender a manuseá-los e deixamos para nossos filhos que são experts ou pedimos ajuda para outras pessoas, perdendo assim uma oportunidade de aprender fazendo.
Dedicar algum tempo para ver os e-mails, entrar nas redes sociais e agora participar deste ambiente virtual, “aparentemente” não custa nada. Se você acessa a internet…entrar no nosso espaço para ver o que está acontecendo, saber das novidades é o passo inicial.
Esta nossa inclusão digital está passando da hora. A utilização do computador/internet em nossas escolas e salas de aula passa pela apropriação do professor desta ferramenta poderosa.
Não faz parte de nossa formação essa apropriação, utilização e divulgação ?
Enquanto formadores, incentivar o uso do computador/internet não é nosso papel ?
Estamos esperando o quê ou quem ?
Quando fazemos essas perguntas estamos convidando a todos para este diálogo, reflexão e análise. Tudo é muito recente. Um poeta já bem disse “…caminhante, não há caminho,
faz-se caminho ao andar..”
Uma das possibilidades deste AVA (ambiente virtual de aprendizagem) é essa comunicação assíncrona, ou seja, podemos responder em outro momento, em qualquer lugar. Habituarmos com este debate que vai ocorrendo aos poucos, acompanhar a linha do pensamento que vai ficando registrado e particularmente, eu vejo uma característica facilitadora: o emocional controlado, com a revisão do que está sendo dito. Este processo de fala/escrita necessita ser praticado por nós como uma atividade cotidiana. São reflexões abertas e neste espaço blog que todos nós possuímos vamos pontuando nossas análises, impressões e reflexões . Bem-vindos à Web 2.0…..

PS você deve ter achado estranho a questão do AVA, e me explico melhor: essas reflexões são resultantes da análise que estou realizando, da experiência promovida pelo núcleo de monitoramento pedagógico de Taguatinga, o qual estou ligado. Trata-se da utilização da plataforma Moodle, como uma possibilidade de trabalho nesses tempos digitais. Como já foi dito, este é apenas o primeiro post de uma série que pretendemos colocar semanalmente, por isso a numeração. Deixe seu comentário, crítica, sugestão. Até já modifiquei a configuração dos comentários, para não ser necessária a identificação, Obrigado.

Bem-vindos

Prezados visitantes, é com satisfação que estamos inaugurando este blog. A idéia básica é construir coletivamente um espaço de discussão a respeito da migração digital do professor e quiçá podermos assumir um dia, esse novo adjetivo que os tempos atuais nos impõe. Descobri que podemos ter inúmeros blogs por aqui.